sábado, 17 de julho de 2010

Olinda, Capital Simbólica do Brasil


Foi sancionada pelo Presidente Lula a Lei Federal 12.286 de 2010, de autoria do deputado federal Maurício Rands. A Lei proclama Olinda Capital Simbólica do Brasil e estabelece que, em 27 de janeiro de cada ano, a cidade de Olinda seja reconhecida, durante esse dia, como a Capital Simbólica do País.


Aparentemente simples, essa lei tem grande impacto no fomento ao turismo, captação de recursos e resgate histórico da Marim dos Caetés. Na Europa, proclamações como a recém conquistada por Olinda, são muito comuns e ajudam muito às cidades na atração do turismo e na preservação do patrimônios históricos e culturais. Ótima notícia, para os olindenses e para os pernambucanos.

27 de Janeiro de 1654, fim da ocupação holandesa em Pernambuco

Por Cuca Falcão

27 de janeiro de 1654 marca a expulsão definitiva dos holandeses do território pernambucano, com a assinatura da rendição incondicional na Campina da Taborda, onde foram entregues as 73 chaves da cidade Mauricéia ao General Francisco Barreto de Menezes – comandante das tropas patriotas –, pondo fim a 24 anos de ocupação holandesa.


Essa foi a primeira vez que os habitantes do Brasil – mazombos (filhos de portugueses nascidos no Brasil), índios nativos e negros – formaram os terços das três raças, unindo-se por um objetivo comum: lutar pela liberdade, na chamada Restauração Pernambucana.

Dois fatos importantes aconteceram na luta contra os holandeses. Primeiro: o conceito de pátria; e segundo: a estruturação de uma força armada brasileira, o exército.

Não é de estranhar que assim acontecesse, por que? Embora existisse uma convivência entre holandeses, portugueses e brasileiros (que ainda não tinham consciência de patriotismo), acredito que os "mazombos" não se sentiam confortável por uma luta que não era usa, e, sim, de interesse dos portugueses, de Portugal.

Na luta contra os holandeses ficaram os alicerces das revoluções posteriores, como a Revoluão de 1817 e a Confederação do Equador. Por causa disso, tanto João VI como Dom Pedro I, não viam com simpatia os pernambucanos, politizados e prontos para lutar pela liberdade e por uma república que sequer suspeitavam.
Blog Archive

Blog Archive

About Me

Minha foto
Assessoria de Comunicação
Recife, Pernambuco, Brazil
Maurício Rands, recifense, advogado e professor universitário, 50 anos, casado, dois filhos, eleito em 2010 para o terceiro mandato de deputado federal, pelo Partido dos Trabalhadores, representando Pernambuco. Está licenciado do cargo. Atualmente, assume a Secretaria do Governo na gestão do governador Eduardo Campos.
Visualizar meu perfil completo

Livro de Maurício Rands

Livro de Maurício Rands
Labour Relations and the New Unionism in Contemporary Brazil
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget