sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

PPP de Saneamento é destaque na imprensa pernambucana

Consulta Pública para a Parceria Público-Privada (PPP) de Saneamento é destaque na imprensa pernambucana. Segue clipagem de matérias que noticiam a ação da Secretaria do Governo.

Pernambuco 247
15/12/2011 – 20:05

PPP de saneamento passará por consulta pública

Uma Parceria Público-Privada (PPP) será celebrada pelo Governo do Estado para construção do que pode ser o maior sistema de esgotamento sanitário do País, orçado em mais de R$ 4,3 bilhões. O edital de licitação será lançado no dia 27 de fevereiro de 2012 e o contrato deve ser assinado seis meses depois.

A consulta tem como objetivo discutir com a sociedade o projeto de PPP que universalizará a rede de esgotamento sanitário na Região Metropolitana do Recife (RMR) e no município de Goiana (Mata Norte). As obras têm um prazo de conclusão de 12 anos. Menos da metade dos 30 anos que o Estado demoraria para executar o mesmo serviço apenas com recursos próprios.

No término da obra, a expectativa é que mais de 4,5 milhões de pernambucanos serão beneficiados.

Do valor investido, R$ 1 bilhão sairá dos cofres do Estado e R$ 3,3 bilhões da iniciativa privada. “Pernambuco vive um momento histórico e dá exemplo ao resto do Brasil. Esta é uma experiência pioneira que deve ser replicada em todo o País”, comemorou o secretário de Governo e presidente do Comitê Gestor de Parcerias Público-Privada (CGPE), Maurício Rands. Menos de um terço da população pernambucana conta com o serviço de coleta de esgoto.

Diario de Pernambuco - PE
16/12/2011 - 07:22

Saneamento mais ágil

O governo de Pernambuco apresentou, ontem, um plano para resolver o problema do esgotamento sanitário no Grande Recife em tempo recorde. O prazo previsto para concluir o esgotamento cairá de 30 anos para 12 anos caso a consulta pública sobre uma parceria público-privada (PPP) no setor de saneamento seja aprovada pela sociedade. A consulta começa hoje e a população tem 45 dias para decidir sobre a iniciativa.

Segundo o Comitê Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas (CGPE), para sanear todo o Grande Recife (mais a cidade de Goiana, na Mata Norte) é necessário investir em torno de R$ 4,3 bilhões. Desse montante, informou o órgão, R$ 1 bilhão dos recursos serão provenientes do governo do estado e o restante, R$ 3,3 bilhões, virá dos futuros investidores que queiram participar da parceria.

Parte dos recursos oriundos do governo do estado (mais de R$ 600 milhões), inclusive, já está captada através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do governo federal, informou a Secretaria de Governo (Segov-PE). No levantamento feito pelo CGPE, em parceria com o consórcio Odebrecht/Foz do Brasil, a PPP vai beneficiar diretamente 288 mil famílias no Grande Recife, o equivalente a 4 milhões de pessoas.

“Caso aprovada, esta será as maiores PPP e obra de saneamento do Brasil. É a primeira vez que o problema do esgotamento sanitário do Grande Recife é tratado com uma PPP e esta opção de solução é a mais vantajosa”, explicou o secretário de Governo, Maurício Rands. Ele informou que os primeiros contratos assinados e o início das obras, em caso de aprovação, devem ocorrer a partir de 1º de julho de 2012. A consulta pública pode ser conferida no site www.ppp.segov.pe.gov.br.

Na escolha pela PPP, pesou, principalmente, conforme informou a Segov-PE/CGPE, o tempo para sanar o esgotamento sanitário na RMR. Rands explicou que no modelo tradicional de execução de obras públicas (licitação) seriam necessários 30 anos para normalizar a situação. “Há estudos que estendem este prazo para até 70 anos. Na PPP, a mobilização de recursos é mais rápida e nas licitações ocorre a dependência de investimentos pelo poder público”, disse. Rands destacou que outra vantagem da PPP são os riscos desse tipo de parceria, dividido entre as partes.

O CGPE disse ainda que a população beneficiada pelo programa da tarifa social da Compesa são será afetada em termos de acréscimos na conta de água com a implantação da PPP. Além disso, o órgão pretende contratar uma empresa autônoma para avaliar a qualidade dos serviços. “Este projeto é um case nacional e se for implantado servirá de referência para o Brasil”, ressaltou Rands.

Saiba mais

PPP - Esgotamento sanitário (números e calendário)

Recursos – R$ 1 bilhão (governo de Pernambuco) e R$ 3,3 bilhões (investidores)

Investimento total – R$ 4,3 bilhões

Municípios contemplados – 14 da RMR e Goiana (Mata Norte)

Famílias beneficiadas – 288 mil

Início (consulta pública) – 16/12 (hoje)

Fim do prazo – 31 de janeiro de 2012

Lançamento do edital – 27 de fevereiro

Propostas – 15 de abril (abertura) e 05 de junho (homologação)

Assinatura dos contratos/início das obras – 1º de julho

Fonte: Segov-PE (www.ppp.segov.pe.gov.br)

Jornal do Commercio - PE
16/12/2011 - 07:30

PPP do saneamento terá consulta pública

Está aberta a partir de hoje a consulta pública da Parceria Público-Privada (PPP) do saneamento básico para a Região Metropolitana do Recife e Goiana. Orçado em R$ 4,3 bilhões, o projeto foi apresentado ao governo do Estado pelo consórcio formado pela Andrade Gutierrez e Foz do Brasil, da Organização Odebrecht. Ontem, o Comitê Gestor do Programa de Parceria Público-Privada de Pernambuco e a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciaram o cronograma até a assinatura do projeto, previsto para 1º de julho de 2012. Até 31 de janeiro, a sociedade pode opinar sobre o projeto no endereço www.ppp.segov.pe.gov.br.

Pelo calendário, o edital será publicado em 27 de fevereiro. No dia 15 de abril, haverá a abertura das propostas. A homologação da empresa ou consórcio vencedor está prevista para dia 5 de junho. A assinatura do contrato com a empresa ou consórcio vencedor está marcada para 1º de julho.

"Com a assinatura do contrato, as obras já podem começar. Parte das ações já estão sendo tocadas pela Compesa. A partir de julho, serão definidas as prioridades do projeto junto com a parceria privada. Tudo será feito por etapas e conforme a sequência dos investimentos", explica o secretário executivo de Recursos Hídricos, José Almir Cirilo.

A promessa é que não haverá repasse de custos para os consumidores nem aumento do pagamento de taxa para quem paga tarifa social. Hoje, 288 mil famílias pagam a tarifa mínima, R$ 5,25. "Essas pessoas vão continuar pagando o mesmo valor e vão ter acesso ao saneamento", afirma Roberto Tavares, presidente da Compesa.

Segundo o presidente da Compesa, também não haverá diminuição do quadro de funcionários da estatal. "Estamos investindo R$ 2 milhões para a qualificação dos funcionários para que sejam realocados para setores de água e de esgoto no interior, que vai continuar sob nossa responsabilidade."

Num plano ambicioso, a expectativa é que a universalização do saneamento seja feita num tempo considerado recorde, 12 anos. O secretário de Governo, Maurício Rands, que lidera o comitê gestor de PPP, indica que se o processo ocorresse apenas com investimento público, seriam necessários 30 anos nas projeções mais otimistas. Com a PPP, o Estado vai entrar com R$ 1 bilhão e a iniciativa privada vai arcar com R$ 3,3 bilhões. "O Estado já captou mais de R$ 600 milhões."

A Compesa ficará responsável pela cobrança da taxa de esgoto, como já acontece hoje, e pelo monitoramento e controle da qualidade do desempenho da empresa ou consórcio vencedor, que terá a concessão dos equipamentos construídos por 35 anos – como estações de tratamento e tubulações. Parte da receita arrecadada pela estatal em saneamento será repassada para a iniciativa privada.

Cerca de 4,5 milhões de pessoas serão beneficiadas. Hoje, apenas 25% da região tem cobertura de saneamento, aponta Roberto Tavares. "Em 12 anos, 90% dessa área será completamente saneada."

Aprovada consulta pública para PPP de Saneamento

Governo de Pernambuco
15/12/2011

Secretaria de Imprensa

Aprovada consulta pública para PPP de Saneamento

O Governo do Estado deu os primeiros passos para construir a maior obra de esgotamento sanitário do país. Serão mais de R$ 4,3 bilhões em investimentos e mais de 4,5 milhões de pernambucanos beneficiados (população estimada ao término da obra). “É um compromisso firmado em 2006 e concretizado hoje”, disse Almir Cirilo, secretário estadual de Recursos Hídricos.

Para Maurício Rands, secretário de Governo e presidente do Comitê Gestor de Parcerias Público-Privadas (CGPE), “Pernambuco vive um momento histórico e dá exemplo ao resto do Brasil. Esta é uma experiência pioneira que deve ser replicada em todo o país”, afirmou. Dos R$ 4,3 bilhões previstos em investimentos, R$ 1 bilhão sairá dos cofres do Estado e R$ 3,3 bilhões da iniciativa privada.

A consulta pública será lançada amanhã (16), por meio de uma publicação no Diário Oficial do Estado. O objetivo da consulta é discutir com a sociedade o projeto de Parceria Público-Privada (PPP) que universalizará a rede de esgotamento sanitário na Região Metropolitana do Recife (RMR) e no município de Goiana.

“Uma das preocupações da nossa equipe é oferecer um serviço de qualidade sem mexer no bolso do usuário da Compesa”, concluiu Roberto Tavares, presidente da Compesa. Menos de um terço da população pernambucana conta com o serviço de coleta de esgoto.

O edital de licitação será lançado no dia 27 de fevereiro de 2012 e o contrato deve ser assinado seis meses depois. As obras têm um prazo de conclusão de 12 anos. Menos da metade dos 30 anos que o Estado demoraria para executar o mesmo serviço apenas com recursos próprios. “Essa é uma marca do governo Eduardo, perguntar ao povo, levar as empresas, consultar as vias judiciais e executar as obras”, resumiu Maurício Rands.

Crédito: Aluísio Moreira/SEI
Blog Archive

Blog Archive

About Me

Minha foto
Assessoria de Comunicação
Recife, Pernambuco, Brazil
Maurício Rands, recifense, advogado e professor universitário, 50 anos, casado, dois filhos, eleito em 2010 para o terceiro mandato de deputado federal, pelo Partido dos Trabalhadores, representando Pernambuco. Está licenciado do cargo. Atualmente, assume a Secretaria do Governo na gestão do governador Eduardo Campos.
Visualizar meu perfil completo

Livro de Maurício Rands

Livro de Maurício Rands
Labour Relations and the New Unionism in Contemporary Brazil
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget